23 de maio de 2007

Em 1787, numa estalem perto de Moulins, estava a morrer um velho, amigo de Diderot, formado pelos filósofos. Os padres das redondezas estavam extenuados: tinham tentado tudo em vão; o homenzinho recusava os últimos sacramentos. O Sr. de Rollebon, que passou por ali e que não acreditava em nada, apostou com o pároco de Moulins que, em menos de duas horas, seria capaz de converter o doente aos sentimentos cristãos. O pároco aceitou a aposta, e perdeu: atacado às três horas da manhã, o doente confessou-se às cinco e morreu às sete. «Sois, na verdade, muito forte na arte da controvérsia», reconheceu o pároco; «levais a palma aos nossos!» «Não controverti», respondeu o Sr. de Rollebon, «meti-lhe medo com o Inferno.»
J. P. Sartre, A Náusea.

5 comentários:

zef disse...

A anedota ainda tem sentido ou os cristãos já sentem aquilo para que aponta, creio, São Pedro,
ao dizer mais ou menos assim: estai sempre prontos para dar contas, a quem vo-las peça, da esperança que dizeis ter?
Isto não é fazer juízos e sei que não pede resposta...

MC disse...

A conversão! De facto era a ela que se devia dar primazia! "Convertei-vos e acreditai no Evangelho!"

Putty Cat disse...

Eu converto-me apenas ao que penso. E neste momento, pensei em ti.

Após uns tempitos, lá regressei!

Beijo & Abraço

Putty

Andarilhus disse...

Um diabo por perto dá sempre jeito ;)
É assim que muitos vão para o "céu": não têm conhecimento de sítio melhor... é garantido e é tutelado pelo "Estado" (doutrina oficial).
"(ºvº)"

a-bordo disse...

zef: de todo não pode... o futuro presente, e o futuro futuro - só dizer isto é por si só alvo das maiores perplexidades...

mc: constantemente e nas partes de nós que ainda faltam converter....


putty: outro pensamento para ti, então...´

andarilhus: s. paulo dizia que trazia com ele um demónio na carne...