5 de janeiro de 2007

o desejo de agradar esconde-se da consciência; também a sua força

6 comentários:

cap disse...

Concordo com a "inconsciência" do desejo. Agora com a força...

Putty Cat disse...

Concordo que às vezes é ao contrário...
A força vem algures de onde menos esperamos, de onde menos conhecemos.

Por isso, tenho mais força inconsciente do que desejo.
Os meus desejos são BEM conscientes.

Boa semana a todos.

Aires Montenegro disse...

Curioso: concordo com tudo - com a "inconsciência" do desejo e com a sua força... É que, em mim (digo eu!)predomina a inconsciência. Melhor diria que eu queria que predominasse...

zef disse...

Parece que o Aires quer a fórmula perfeita...também eu...e não é começa a ser cada vez mais tarde?

Andarilhus disse...

O desejo de agradar é instintivo na humildade humana. Esta é que vai sendo rara. O desejo de agradar é cada vez mais uma força - bem consciente - de bajular e de "engraxar" bem os sapatos do teatralismo social. Não é bem o desejo de agradar; é mais o agradar aos desejos...
"(ºoº)"

a-bordo disse...

obrigado pelos contributos; beijos e abraços respectivos.