19 de dezembro de 2006

Contemplação num mundo de acção de Thomas Merton é outras coisas e tem outras intenções, mas também é, ou assim pode ser lido, um "manual de psicologia do crente" e do crente que é confrontado com instituições religiosas. A crise de identidade, a imaturidade, o que faz a identidade e a maturação, o jogo entre a opção solitária e a comunhão, a necessidade de assumir em tempo certo opções e de arcar com as consequências, são tópicos deste livro. Curiosidade e muito mais do que isso: a ênfase dada à subalternização da “intelectualização” do questionar e do responder. Sofremos em excesso com a “intelectualização” das questões e com a procura “pensativa” de respostas.

1 comentário:

Esteva disse...

Certo! às vezes até dá vontade de ir plantar couves, como foi o Alexandre Herculano. ****