12 de dezembro de 2006

A pressa era tanta que peguei na carteira antes de chegar a minha vez de pagar; à minha frente, na caixa do supermercado, o senhor ia pagando; eu, ao dar pela falta do cartão, exclamei: esqueci-me do cartão; o senhor de idade perguntou-me: quer que lhe empreste dinheiro?

4 comentários:

medronho disse...

Ainda há gente BOA.
Será por ser Natal?

a-bordo disse...

medronho: penso que não.

JOINCANTO disse...

Por acaso não era o senhor velhinho não era o Belmiro, ou o Jardim Gonçalves?
eheh

a-bordo disse...

joicanto: não, não era:)