6 de dezembro de 2006

... um obrigado para o jardim de luz a quem devo entre outras coisas, muitíssimas, o facto de estar agora a ler o que leio …

8 comentários:

MC disse...

Eh lá! Não me sabia assim tão credora!!!! Faça favor de começar a pagar :)))))

O Thomas Merton tem a radicalidade de um convertido. Eu, que sempre andei dentro do rebanho (uma ovelha um bocadinho tresmalhada, a maior parte das vezes)preciso do impulso de alguém como o Merton, que vive a sua relação com Deus e consigo próprio de uma forma muito profunda e verdadeira.

Não será o autor da minha vida (tenho vários; alguns analfabetos), mas é um espelho onde gosto de me procurar.

Também tenho muitos livros que começo, abandono, leio, releio - há uma maturidade/disponibilidade para entendermos as coisas.

É a chamada - conversão. Exige tempo, paciência, moderação, constância e o resto que ainda me falta descobrir... :)

Beijo

a-bordo disse...

... concordo; é um autor altamente estimulante; e é isso, e pelo que já li, a pressa é coisa que definitamente não funciona ... quanto ao que te devo, manda que eu pagarei o que puder:))) beijos

MC disse...

eu acho que as nossas contas estão saldadas. Uma estima e carinho mútuos com muita discrição, mas constantes.

a-bordo disse...

gracias... uma boa semana para ti.

Andarilhus disse...

... não me meto nas vossas conversas :), mas sempre vou dizendo:
MC, agarro-me à passada do "obrigado" do colega caminheiro e subscrevo-o;
Fernando, eu li no UPB o teu repto. Algures uma pedra afeiçoada aguarda o tempo de uma conversa entre 2 vestutos amigos!
Fiquem bem...
"(ºoº)"

JOINCANTO disse...

Por acaso ando com vontade de ler alguma coisa de Merton...
Que aconselham para começar?

a-bordo disse...

andarilhus: es vero; algum silêncio e alguma conversa em cima de uma montanha são sempre bem vindos.

a-bordo disse...

joicanto: este livro; o blog que a maria da conceição linka com alguma frequência vai dando boas pistas de leitura... abraço