6 de março de 2006

Joseph Conrad - o coração das trevas. Vou lendo aos soluços, uma modalidade que não conhecia. Há muito que ando para o ler. Para perceber quem poderá ser Kurtz’s Conrad. O misterioso Conrad’s Kurtz. O misterioso coração da trevas. Espero entre um soluço e outro. E penso que não espero coisa pouca. Contudo, antes disso, fica em bronze o excerto: «sabem como odeio, detesto, não tolero mentiras, não por ser melhor do que os outros mas simplesmente porque me assusta. Têm um ar fúnebre, sabem a morte – exactamente aquilo que mais odeio e detesto no mundo – o que mais quero esquecer. Deixam-me infeliz e doente como se tivesse trincado qualquer coisa podre. Ao que julgo, questão de feitio.»

3 comentários:

Aires Montenegro disse...

Cheguei a este coração do Congo pela 1.ª vez após a minha experiência em Angola, e, mais tarde, quando cheguei ao Apocalipse do Copolla não encontrei o mesmo Kurtz...

a-bordo disse...

aires: é também esse encontro ou desencontro com o apocalipse de que estou à espera... abraço

Alessandro_PPG disse...

Olá! Estou divulgando o meu blog : http://ilustrada-ppg.blogspot.com/ e meu site: http://www.ilustrada.ppg.br/ Ajude a divulgar a arte! Desde já agradeço! Conto com o seu apoio! Abraços !