10 de fevereiro de 2006

Uma Vida de Jesus, de Shusaku Endo, contemporâneo romancista católico japonês. É conhecido o longo fascínio das tentações no deserto, entretanto, interpretadas de diferentes modos. Aqui: «pessoalmente, penso que, enquanto Jesus fazia os Seus «exercícios espirituais» na solidão do deserto, a dois passos do mosteiro de Qumram, os monges não deixariam de O colocar numa situação de conflito ideológico. Porventura tentaram mesmo aliciá-Lo para o seu grupo. Jovem ainda, olhos doridos, devia por certo atrair as atenções do próprio superior religioso e dos seus principais colaboradores. Lendo atentamente o relato bíblico, a tentação em que o demónio O queria fazer cair cifrava-se nesta insinuação: «Busca a salvação terrena para o povo e dar-te-ei em recompensa todo o poder deste mundo». Era isso mesmo, dito porventura de outro modo, o que os essénios do mosteiro de Qumram visionavam para o seu próprio futuro.» (páginas 34- 35) – Isto é: interpretação interessante por colocar as tentações sobre terreno histórico.