15 de dezembro de 2005

... não posso dizer que sou fã de pensamentos intrusos, sobretudo daqueles que povoam o caminho do pensamento, vindo de nenhures e que ocupam o espaço mental com um ar de algoz ou disparate; seria heroicidade a mais; grande parte das vezes, não lhes reconheço verdade; embora, esses estouros na placidez neuronal não se cansem de a reclamar; claro que reclamam outras coisas; querem ser avisos, alertas, desprezos, ou promotores de comodidade; e aí? - no entanto, grandes defeitos que são, têm no entanto uma grande virtude: fazem-nos, por momentos, viajar pelas margens; obrigam-nos a caminhar pelo meio… dois em um!? – é claro que se pode pedir mais, mas...