28 de outubro de 2005

ia, como prometido, falar sobre o silêncio; mas não sei se isto é isso; de qualquer modo é isto; usualmente, não dizemos tudo; por isso, precisamos de continuar a falar; para dentro, para fora; mas, se dissermos tudo, se não ficar uma vírgula por dizer, ainda assim podemos necessitar de dizer mais; o que é estranho; porque dissemos tudo; o que não pode ser; acontece então que dissemos quase tudo; o que é que nos faltou dizer?

7 comentários:

Bastet disse...

xiuuu... deixa falar o silêncio... :)

MC disse...

Eu, acho que o nosso tudo muda a todo o instante. Ainda bem:)

pipetobacco disse...

{ ... um.quase.nada © biquinha ... }

Pedro Farinha disse...

Sempre que acabamos de falar, sentimos que algo ficou por dizer. Mas tambám há coisas que apenas o silêncio consegue pronunciar.

a-bordo disse...

não sou assim, mas acontece, fazer como os burros e deixar apenas um som desarticulado quando falam comigo; nos comentários, sei lá porquê, acontece-me muitas vezes; da minhas burrices anteriores, sorries para todos. nesta também; dito isto.... biejos e abraços respectiva e irrespectivamente :)

Maria disse...

"O silêncio é pó!
Pó que se abeira dos dias,
Se infiltra no coração,
Que como o ódio o corrói!
Não há música,
Não há vida,
Não há sonho,
Só o negrume, cerrado e frio!
(...)"

Gosto do silêncio quando não é total... ;)

Beijinho

a-bordo disse...

maria: obrigado pelo poema.