13 de junho de 2005

Nos Possessos, Dostoievski, foi há muito assinalada uma escrita sinfónica. Que é conseguida porque o autor faz oscilar todas as vidas entre os pólos do orgulho e do amor. Por isso, parece que andam na mesma vida. Que vivem a mesma história. Mesmo quando as vozes mostram dissonâncias e divergências.