7 de junho de 2005

«Mas, quando uma esposa, um filho, um parente ou um amigo realiza o que desejamos, com relutância e resmungando, com expressões de desagrado e contrariedade, a manifesta dificuldade a que eles se sujeitam contribuiu para realçar grandemente o carácter coactivo da obrigação. Como esta observação é daquelas que poucos leitores seriam capazes de fazer sozinhos, considerei conveniente dar-lhes uma ajuda; mas não esperem que este esforço se repita muitas vezes ao longo da minha obra. Na verdade só muito raramente o favorecerei nestes domínios, salvo em circunstâncias análogas a esta, quando somente a inspiração com que nós, os autores, somos dotados, pode permitir a uma pessoa fazer semelhantes descobertas.» - Henry Fielding, Tom Jones, 24.