12 de maio de 2005

Não queria deixar passar a data, sem dizer duas coisas. Que abriu a pulga. Fica então aqui, hoje, um abraço para o António Oliveira.