13 de maio de 2005

Catolicismo 15. O católico não abandona facilmente o catolicismo. Pois mesmo quando está fora, está habituado a descobrir motivos para voltar para dentro. Está de algum modo sempre disposto a voltar. Basta que alguém, algo, despolete em si, os antigos hábitos de confiança. Que alguém, algo, despolete a pertinência da crença na Igreja para além do crente, da crença na bondade que existe no homem, na crença que torna operativos os mecanismos de reposição da confiança. No entanto: