12 de maio de 2005

Catolicismo 13. Então, o católico não abandona facilmente o seu catolicismo. Quando os seus hábitos de confiança são abalados, pode pôr em jogo mecanismos de confiança na comunicação com o divino, como os que se jogam nos sacramentos, e mecanismos de confiança nos outros membros da comunidade, como os que se produzem numa Igreja a duas velocidades. Por aqui, o católico consegue um conjunto de mecanismos de prevenção e de reposição de confiança. Por isso: