24 de abril de 2005

Alvin 27.
«E a lealdade, Jipe e o professor!?» «Lealdade, carapuça!» – A tia queria pôr-se ao fresco. Ficar era uma tolice. «Aqui, não podemos fazer nada! Vamos embora!». Eu não estava assim virado. Estava sedento de aventura. Queria ver no que dava. Disse-lhe: se fosse, eu ficava. Ela, para me controlar, ficou. Circulamos pelo edifício, com um agente atrás. Os nossos desejos eram ordens. Quisemos comer, levou-nos ao refeitório. Quisemos o jornal, apareceram dois. Quisemos ver como ia o mundo, levou-nos à televisão do bar. Estava tudo na mesma. O Benfica em primeiro, a falta de sorte do Penafiel. A certa altura, tentei discutir o caso com a minha tia. Não estava interessada. Mandou-me calar. Não sei porquê, estava definitivamente convencida que eu era um tolhinho. Uma natureza, sem emenda.