16 de abril de 2005

Alvin 19.
E foi assim que fomos detidos. O professor ficou inchado de vaidade. Tinha dado a conhecer ao universo um texto imprescindível. Foi buscar uma garrafa de vinho para comemorar. Quando regressou, a face irradiava contentamento. Estava tudo bem. Muitíssimo bem. Levantou um copo e brindou ao nosso encontro. E descambou. Começou a abraçar-nos. Duas ou três vezes. Depois, aos urros. Depois, a dar urros e pinotes. Pensei: o que irão dizer os vizinhos?