19 de janeiro de 2005

No filme, Teresa está nos Estados Unidos, numa das reuniões da sua organização que entretanto se tornara internacional. Um dos dirigentes apresenta algo como um relatório e contas, um orçamento. E avisa para o acréscimo de despesas. Há que deixar de usar telefone, passar a usar sms. Poupa-se… Teresa pergunta ao criado: «quanto custa esta garrafa de água?» – O criado diz-lhe o preço. Teresa franze o sobrolho. Com aquele dinheiro, daria para… Faz contas. E rápida toma uma decisão: «declaro acabada esta organização». Alguém a interpela com angústia: mas como poderemos garantir que os esforços que desenvolvemos até agora não irão desaparecer? – Teresa responde: deixo isso nas mãos de Deus.