8 de novembro de 2004

«Quando eu comecei a trabalhar com leitores pensei que a coisa mais importante era que lessem alto e devagar. Mas depressa me apercebi que a calma e o volume eram insuficientes. Frequentemente os leitores não compreendiam o que liam. Isto levou-me a gastar algum tempo com eles para que percebessem o significado das passagens que iriam ser lidas. Os leitores tinham de aprender não a falar na voz de Paulo ou de Isaías mas na sua própria voz – usando, obviamente, as palavras de Paulo e de Isaías.» - Robert Louis Wilken, Early Christian Thought – seeking the face of God - 182.