22 de outubro de 2004

(17NP) Se dói é preciso medicina. No dizer de Peter Brown, a primeira foi leve mesmo tendo sido receitada pela pena de Agostinho que: «negou que algum Cristão pode estar sem pecado, mesmo depois do baptismo. A penitência para ele não era somente dirigida aos pecados maiores (o que Agostinho designava por pecados “capitais”: isto é pecados mortais). A penitência devia sempre tocar aquelas falhas da vida diária as quais deviam lembrar a todos os crentes, o tempo todo, a sua natureza humana caída. Estes “leves” pecados eram significativos, mas a sua penitência era suave. Na opinião de Agostinho era suficiente recitar cada dia com sincero arrependimento a frase do Pai-nosso, Perdoa os nossos pecados, como nós perdoamos àqueles que pecaram contra nós…» (op. cit. 256)