14 de setembro de 2004

Se Cristo viesse hoje há terra, seria ateu. Há quem o afirme, por exemplo, a teóloga alemã, Doroteia Sölle. Isto porque Jesus viveria sobretudo para os pobres. Esta tese é hoje frequentemente enfatizada, esta dimensão do pensar e da vida de Jesus tomada como exemplo maior. De algum modo, isto parece bem. “Choca” no entanto com: “ «Porque não se vendeu esse perfume por trezentos denários e não se deu aos pobres?» (…) Respondeu Jesus: «Deixai-a, ela tinha-o guardado para o dia da minha sepultura». Pobres, sempre os tereis convosco: mas a Mim, nem sempre Me tereis.»” (João, 12:5-8)