30 de setembro de 2004

(1NP) Por indicação do Carlos, há algum tempo atrás passei por David Lodge. E comecei pelo seu Notícias do Paraíso. Não deixa isto de ser curioso. Vejamos. Na última terra, o Carlos abordou a seguinte questão:
«Por outro lado, a falta de reflexão sobre o Céu e o Inferno (sobre os quais quase há vergonha de falar, mesmo nos meios católicos) tem levado a um relativismo muito perigoso – e com consequências nefastas. O "fim do Inferno", por exemplo, em vez de ser libertador para o Homem, e portador de uma boa-nova de esperança, sem culpa e sem castigo, tem levado a que aceitemos (e a que pratiquemos?) o Mal com mais naturalidade do que devíamos. Pois, se Deus, na Sua infinita misericórdia nos ama tanto, não há-de condenar nenhum dos seus filhos ao fogo do Inferno. Somos todos chamados à grande ceia final na Sua presença. E, se não há Inferno, o Céu é um lugar onde todos cabem lado a lado. O São Francisco de Assis abraçado ao Pol Pot, a minha tia de mão dada com o Dr. Mengele, o Siddartha a brincar com Judas, etc.»

Perante isto, saco da minha memória – traiçoeira – o seguinte: esta possibilidade de salvação indiferenciada, esta amnistia geral, havia sido proposta por Orígenes. Mas se em Orígenes parece que pode ser lida como um desejo que ninguém fique eternamente preso nas teias do mal, pode, por outro lado, ser lida como um desejo de não lidar com as consequências dos nossos actos.
Seja como for, esta diluição de algumas noções clássicas da teologia cristã, o Céu, o Inferno e o Purgatório - recentemente - descoberto pelos medievais, tem vindo a ser posta em causa. Perante isto, se algumas “elites” tudo fazem para que esta dissolução se acelere, a tia de Bernard antes de inquirir pelo Céu e pelo Inferno, diz-lhe:

«Não me digas, Bernard. Posso muito bem morrer sem saber o que é um catalisador. Temos coisas mais importantes para conversar. Estava na esperança de que pudesses dar resposta a algumas dúvidas acerca da Fé. Há coisas em que eu tenho dificuldade em acreditar.» (obra citada, Gradiva, 113.)