2 de maio de 2004

Por vezes, fico perplexo. Se opto por seguir o que penso, fico mal. Se opto por não o seguir, fico mal. Mal de qualquer maneira. E confuso. As minhas opções estão envoltas em confusão. «O termo que Tomás usa para tal pessoa é perplexus. Ele está num dilema moral, danado se faz, danado se não faz. Imaginem alguém com uma consciência errada. Ele pensa que o que é bom é mau e vice-versa. Então quando ele não age de acordo com a sua consciência, age mal, e quando age de acordo com a sua consciência, age mal. Assim, age necessariamente mal.» (McInerny, Ethica Thomistica).