10 de fevereiro de 2004

Amor, não é nada disso, nada dessa aceitação de tudo. Nada de «faço tudo por ti». No tudo só e apenas uma parte