15 de dezembro de 2003

Não só é sensível tudo o que se relaciona com a nossa moralidade pessoal, afinal mexe com aquilo que somos e com a segurança com que habitamos a nossa pele, como também aquilo que mexe com as questões relacionadas com as minorias. Há felizmente um grande fluxo de advertências às posições dominantes. No entanto, tudo o que pode ser visto como aviso às minorias traz consigo uma enorme irritação à flor da pele. Sabendo isso, ainda assim deve ser dito que se as minorias passam frequentemente pelo sofrimento e pela injustiça, não é o facto de por aí passarem que lhes confere razão em tudo o que reclamam. E sobretudo quando reivindicam e esquecem que o caminho que palmilham é sempre feito a dois.