7 de julho de 2003

Jean-Pierre Prévost, How to read the apocalypse, 1993. O apocalipse é uma das temáticas mais inquietantes dentro da tradição cristã. Muitas são – e por vezes, bem contraditórias - as interpretações que surgiram ao longo dos séculos deste livro da Bíblia. How to read the apocalypse, de Prévost, livro de fácil leitura, mesmo se exibe ampla erudição, tenta separar o trigo do joio.
Tal trabalho passa pela análise da noção de profecia. Para Prévost, a profecia, ao contrário do que muitas vezes se pensa, incide mais sobre o presente do que sobre aquilo que se julga poder acontecer no futuro. Assim, a reflexão de Prévost enquadra historicamente o Apocalipse no contexto onde emergiu, 90 depois de Cristo, a partir das dificuldades sentidas pelos cristãos nas relações com os judeus e nas relações com o Império Romano que os martirizava. Passa também por não fazer deste livro algo de erradamente excepcional. Por isso, Prévost realça a sua inserção numa longa tradição de escrita, onde é possível rastear quarenta textos com a mesma natureza estilística. Para além disto, Prévost defende a tese tradicional de que o Apocalipse, livro terminal da «saga» bíblica, mais do que um livro de desastre é sobretudo um livro que celebra a vitória. Para Prévost, o Apocalipse não deixa dúvidas: Cristo vencerá.